fbpx

Todas as pochetes Bobik Lee (e as bolsas também), são feitas pelas mãos do Kalléo Hipolito

são-bernardense, filmmaker, modelista e patinador em todas as horas. Fizemos um registro do processo artesanal na casa/ateliê em que costura. Na busca sensorial, movendo-se pela inquietude do seu lado criativo, ele acredita que a inspiração da arte fala pela ótica do seu estilo de vida, orientadas pela experimentação em tudo o que faz.

Primeiramente, sugira algum som que você tenha ouvido para ambientalizar a entrevista.

Estou ouvindo muito músicas de distintas localidades do mundo, e criei uma playlist no Spotify chamada “Bobik Lee | Calm Mix Culture” para aqueles momentos que preciso ter muita atenção. 

https://open.spotify.com/playlist/40BpQd1jDG6KSLsdzOPhIo?si=JUexdRlaSjmFUP7W6gSxaw

Como foi seu primeiro contato na área?

Sou neto de costureira. Então sempre que à visitava, brincava em seu ateliê. Costurava tudo que encontrava, mas, a verdade era que só estragava os tecidos dela. Com o passar dos anos comecei a customizar minha calças e camisetas e bolsas. Usando somente criatividade e “achismo”. Resolvi realmente ir a fundo nisso para a grande felicidade da minha avó que sempre dizia: Você é o único que tem interesse em costurar, deveria estudar. Negava e respondia: Nunca vou trabalhar com isso! 

Levando um tapa na cara daquele “nunca vou”, fui estudar modelagem e costura para criar com qualidade minhas próprias roupas. 

Como começou a criar bolsas?

Na verdade não estudei nada sobre bolsas. Coloquei em prática o conhecimento e a criatividade e resolvi experimentar. Crio sempre pensando na minha necessidade e praticidade no dia a dia.

Qual a coisa mais importante que você aprendeu como modelista?

Acabamento é primordial. Um acabamento ruim pode estragar o resultado, deixando a peça com aparência desleixada, mal feita e feia. Já uma boa finalização da um aspecto elegância, limpeza e beleza à peça. 

Quais são os materiais que você está utilizando para seus projetos?

Uso na maior parte o Nylon 600 para confecção de bolsas e pochetes. Gosto de trabalhar com ele, pois é um material grosso, resistente e impermeável. Necessita um cuidado dobrado, pois, não pode ter erros, caso contrário, perco todo o material. E agora o leve spoiler da coleção em preto, estou usando um tecido verniz com a parte interior meio aveludada. Meu ideal é trabalhar totalmente dentro da moda sustentável.